terça-feira, 24 de março de 2009

Pororoca

Aproveitando uma reportagem do Esporte Espetacular (exibida domingo) sobre a Pororoca, resolvi fazer um destaque sobre esse fenômeno maravilhoso que encanta olhares e corações.

"A pororoca pode ser um espetáculo aterrador ou fantástico dependendo de onde você estiver.

Em segurança, pode-se presenciar a única ocasião em que o oceano Atlântico vence a resistência do rio. Normalmente, o rio Amazonas, por causa do grande volume de água consegue empurrar a água do mar por muitos quilômetros, mas durante a lua nova a situação se inverte. O choque dessas águas é tão intenso que se reflete em todos os estuários rasos dos rios que desembocam no golfo amazônico. No rio Araguari, alguns quilômetros acima do rio Amazonas, esse fenômeno pode ser melhor observado. As ondas atingem até 5m de altura e com sua força vão derrubando e arrastando árvores e modificando o leito do rio. Isso acontece todos os dias, mas é mais intenso entre abril e junho.

Os índios do baixo Amazonas tem uma boa palavra para definir a pororoca: poroc-poroc significa destruidor" ( texto da Internet)


3 comentários:

Barbara disse...

A Pororoca tem um significado , se entendido pelas escolas ocultas de esoterismo.
É destruidora - transformadora - a que transcende através das águas que, apesar de serem adaptáveis como elemento, ali no fenômeno da Pororoca, mostram-se como quase não adaptáveis.
Uma surpresa avassaladora não sendo surpresa mas surpreendente.
Algo assim.
Aqui também agradecendo o carinho.
Vou buscar sim e você nem imagina o que é um mimo vindo da região amazônica - que conheci um pouquinho em Rondônia e Manaus, mas que me conquistou não por razões meramente ecológicas, mas culturais , observando eu aquele cotidiano, aquelas expressões diferentes, que foram tão avassaladoras prá mim, quanto a Pororoca , positivamente.
O povo da amazônia é absurdamente independente do resto do Brasil - psicologicamente, é sim.
Encantador isso.

Georgia disse...

Bete, o efeito da pororoca é belíssimo quando assistimos em seguranca. Manda um desses surfistas pá cá, quero ver se eles sabem surfar na neve, ahahahhahahaha!!!

Tá todo mundo bem por ai? Saúde no lugar?

Bjus

dácio jaegger disse...

Beti, impressiona-me o volume de terra, de árvores e dos pequenos animais que são arrancados das margens dos rios que se envolvem com a pororoca. O gigantismo do peso do material que vai sendo levado para o oceano e depositado no fundo ampliando a plataforma continental. Ótimo ter lembrado deste filme. Beijos