quarta-feira, 14 de maio de 2008

Ralo de piscina: Sempre alerta!!

Sempre me emociono com a história da Flávia e a luta incansável da Odele. São dez anos ao lado de sua filha em coma, esperando que a justiça se faça presente.

A postagem abaixo é do blog: Flávia vivendo em coma.

Flavia, aos 9 anos e 10 meses.
Flavia,

"Você sabe querida, que nunca dei muita importância a comemorações de “dia disso e dia daquilo”, incluindo o Dia das Mães, porque como eu lhe dizia filha, dia das mães são todos os dias, e você com sua voz mimosa de menina sapeca respondia. - Eu sei mamãe, mas olha o quepreparei pra você na minha escola; foi minha professora quem me ajudou a fazer, mas o que aí está escrito foi idéia "minha.”. E você frisava o “minha”. Ainda tenho filha, guardados estes tesouros que ganhei de você: - um pano de prato com o desenho de suas mãozinhas pintadas nele, um poema escrito por você e dedicado a mim, uma flor de papel dobrada, tipo origami e depois de desdobrada, a frase que me dizia: - Mamãe, você é a melhor mãe do mundo, e eu te amo! Tenho aqui filha, impressa, tatuada na minha memória sua imagem caminhando em minha direção com os bracinhos abertos, e eu, pronta para o seu abraço, me deliciava com as demonstrações de seu amor por mim. A saudade desse tempo querida, me consome, e enquanto escrevo esta carta que vou ler pra você neste domingo, tenho os olhos cheios dágua. Estou chorando de saudades de você. E hoje esta saudade parece ser maior, se é possível ser, por causa das lembranças que o Dia das Mães sempre me traz.

São 10 anos filha, que vejo você aí parada, alheia a tudo, inconsciente e imóvel enquanto a vida passa e continua em movimento. Tantas coisas você perdeu nestes 10 anos filha, um tempo que não dá mais para recuperar. Resta-me continuar na luta para ver seus direitos respeitados. Tivéssemos uma justiça mais justa, há muito os culpados pelo acidente que a deixou assim, já teriam sido condenados a lhe pagar uma indenização que me permitisse cuidar melhor de você. Fossem os responsáveis pelo acidente que a deixou assim pessoas e empresas menos preocupados com dinheiro e mais com vidas humanas, o estrago que fizeram em sua vida não seria corrigido, mas você teria hoje um pouco mais de qualidade de vida. Mas sabe filha, tenho usado seu blog para alertar as pessoas para o perigo dos ralos de piscinas, e é como se você aí, mesmo em silêncio, me pedisse para fazer isto. E protesto filha, de forma insistente e ininterrupta, protesto contra a lentidão da justiça em fazer valer os seus direitos. Acho que com isto minha Princesa, estou exercendo a nossa cidadania, a minha que além de mãe, sou responsável por você, e a sua cidadania que lhe tiraram o direito de exercer.

Mas olha filha, não quero só falar da tristeza que tem sido conviver com seu estado de coma, seu silêncio, sua imobilidade, com a perda da sua capacidade para a vida, e de me demonstrar o seu amor, da forma que antes você fazia. Não quero falar dos afetos que perdemos, das pessoas queridas que se afastaram, porque sabe Flavia, essas pessoas não fazem isto por mal, se distanciam porque talvez não suportem mais ver o seu sofrimento e não sabendo o que fazer ou dizer, se afastam para ficar longe de suas dores. Aprendi querida, que a dor alheia a longo prazo é insuportável para o ser humano. E além disso, filha, aprendi também que as pessoas ficam em nossas vidas pelo tempo que é necessário que fiquem. E depois podem partir para ficar próximas a outras pessoas que talvez mais do que nós, tenham necessidade da presença delas. Essas pessoas se afastam filha, porque já cumpriram sua missão conosco. Mas a vida é renovação querida e novos amigos nos chegaram através de seu blog. São nossos amigos virtuais Flavia, e são assim chamados porque não estão à nossa frente, não nos tocam fisicamente, mas tocam profundamente a nossa alma, o nosso coração, e com eles podemos rir e chorar de emoção pelo que nos fazem e nos dizem através de seu blog querida, que tem facilitado nosso contato com o mundo.

....

Pois é filha, temos muitos amigos conseguidos através de seu blog. Estes que aqui mencionei e muitos outros que mesmo sem deixar comentários, passam por seu blog para saber notícias suas. Você Princesa, reuniu muitas pessoas em torno de sua causa, que por ser justa, nem precisou de sua voz para se fazer ouvir por pessoas que assim como eu, também ficam indignadas com a negligência, a impunidade e o desrespeito aos direitos humanos. E a voz desses amigos têm se juntado à nossa e embora a justiça ainda não nos tenha dado ouvidos, com tantas vozes somadas às nossas, a justiça haverá de nos ouvir, Flavia. O seu silêncio filha, tem ecoado alto e atravessado fronteiras. Esperemos que ele seja ouvido aqui no Brasil – em Brasília e que sem mais demora se faça justiça pra você. Vamos confiar que isto aconteça antes do próximo DIA DAS MÃES.

Um beijo especial de sua mãe neste dia que você tanto gostava de festejar. Receba também um abraço de seu irmão, um filho também muito querido para mim. Amo muito vocês dois.
=========================
A todos que lêem o blog de Flavia, o meu muito obrigada e o meu abraço.
Até o próximo post".

4 comentários:

Odele Souza disse...

Bete,
Obrigada por sua presença no blog de Flavia. Obrigada por comentar e principalmente obrigada pelo link e por este post, reprodução parcial de meu post do Dia das Mães, no blog de minha filha.

Gosto muito quando as pessoas fazem o que você faz aqui, uma introdução, e publicam meus posts, parcial ou totalmente, pois isto evita equívoco nas informações que é algo que tenho feito com muito cuidado e critério: Manter-me fiel ao relato dos fatos, desde o acidente com o ralo de piscina que deixou Flavia em coma irreversível.

Um beijo pra você Bete.

PS. Estou saindo daqui e linkando seu blog ao blog de Flavia.

Magui disse...

Esse caso é realmente terrível.Uma pena Flávia estar assim .

Roseane, disse...

Que tristeza...

Adelino disse...

Eu conheço o caso da Flávia, Bete, e pensar que às vezes fazemos uma tempestade por causa de um simples copo dágua.
Beijos, e bom fim de semana.